TEM QUE LER: Tarefas, desvios, correções, uma entrevista com o Comandante Luz-Guia Campo Flamejante (ou A Entrevista do Teatro de Rua)

brazil-300x205TEM QUE LER: Tarefas, desvios, correções, uma entrevista com o Comandante
Luz-Guia Campo Flamejante (ou A Entrevista do Teatro de Rua)

(portugues.llco.org)

Respondida por Campo Flamejante
Traduzida para o português por Rivaldo Cardoso Melo

1. Neste momento, em que estágio se encontra a luta do Comunismo Luz-Guia?

Em termos de alta-ciência, nós podemos declarar absoluta vitória sobre todos os competidores. Não existe nenhuma luta verdadeira de duas (ou mais) linhas contra múmias dogmáticas. Todos os competidores ideológicos estão mortos a nível de alta-ciência. Não existe mais nenhum debate real com primeiromundistas, trotiskystas, marxistas-leninistas, Maoístas. Só há espaço pra educação. Nós estenderíamos nossas mãos para aqueles que defendem o dogma. Nós ajudaríamos eles, mas nós não nos curvamos pra eles. Fazer isso é o que o próprio Mao chamava de paz generalizada do liberalismo. Sem Luz-Guia, sem ciência genuína, eles não têm futuro. O quanto antes eles perceberem isso, melhor. Eles vão cair dentro da lixeira da história ou virão a nós sob nossos termos. Pode haver um pouco de trabalho intelectual a ser feito, mas isso é tudo. Nossa competição não é com múmias dogmáticas, mas com o liberalismo, o neo-fascismo, e o Islamismo, e estamos fazendo um significativo avanço sobre nossa oposição. As massas do mundo já têm sua organização, liderança, vanguarda, Luz-Guiadora.

Em termos de baixa-ciência, nós precisamos de mais trabalho. Estamos indo em direções ousadas. Estamos presos ainda a diversas influências da tradição marxista, mas também de outras. Muito da baixa-ciência é tocar o coração. É uma área onde o Marxismo tradicional é muito falho. Nós falamos da importância do espírito de Guerreiro do Povo, do Artista do Povo, do Caridoso. Nosso discurso é o de referência sobre a Terra. Nós promovemos o espírito da Caridade, do sacrifício, do serviço ao povo. Muitos dogmáticos por aí só conseguem copiar a baixa-ciência dos velhos Maoístas chineses. Há um ditado chinês que diz “Não se pode fazer uma carteira de seda com uma orelha de porco.” Várias pessoas colocam uma coroa no dogma e agindo com mediocridade. Esse é o tipo de coisa que se vê quando o Movimento Revolucionário está num ponto tão baixo. Eles se agarram em palhas. Isso é natural. Eles pensam que podem fingir (ser revolucionários) fazendo isso. Fingir só pode levar a isso. Revolução de verdade se conduz pelo núcleo científico mais avançado, Comunismo Luz-Guia. Um monte de torcedores viram idiotas úteis nesse processo. É correto apoiar a larga Frente Unida anti-imperialista. Mas nós não podemos mentir para o proletariado. Devemos colocar a Ciência mais avançada, o Comunismo Luz-Guia, nas mãos dele. Temos que entender que tanto a alta como a baixa-Ciência são armas. Ser mestres nas duas. Servir ao povo Verdade, não ficção.

Em termos de organização, não é segredo que estamos em alguma coisa parecida com o que os Maoístas chamam às vezes de Momento Estratégico Defensivo. Estamos no começo. O desafio científico foi superado. Tudo agora é implementação num caminho real. Nós já fizemos exatamente o que prometemos. Nós elevamos a Ciência. Nós criamos um movimento global. Tudo o que nós prometemos já foi conquistado. As sementes que plantamos antes estão começando a germinar, mas nós estamos num momento muito perigoso, crítico. É o momento de estabilizar uma capacidade logística capaz de fazer ganhos reais. Já dizia um ditado Luz-Guia:

“Não importa quanta estratégia de xadrez você saiba se você não tem tabuleiro nem peças.”

Neste estágio de desenvolvimento, também é correto dizer:

“Crianças estudam táticas, amadores estudam estratégia, profissionais estudam logística.”

Nós temos o melhor jogo longo. Nós temos o Grande Plano Estratégico. Nós temos A Liderança. Nós temos guerreiros. O que precisamos é uma séria atenção pra logística. Seu pudéssemos resolver nossos problemas logísticos, nós estaríamos num nível qualitativo superior dentro de um ano. Nós estamos tão perto, apesar de tão longe. que chega a ser frustrante. O destino chama cada dia mais e mais alto. Precisamos trazer alguns dos sonhadores de volta pra Terra. E precisamos reunir aqueles ao nosso redor que ainda não perceberam que heroísmo de verdade pode ser tão simples quanto fazer doações (nota: O Camarada Campo Flamejante estava pensando nos camaradas do Primeiro Mundo quando propôs fazer doações tantas vezes neste texto. A nós, do Terceiro Mundo, cabe divulgar Alta e Baixa-Ciências Revolucionárias, para só depois partir pra prática com apoio logístico do Primeiro Mundo, porque levantar fundo$ é muito mais fácil pra eles (apesar de não ser impossível no Terceirão)). Nós podemos fazer da Revolução uma realidade, mas isso quer dizer foco total em logística, mesmo não sendo a parte mais romântica da luta. Isso não é uma piada ou alguma enganação. Se você quer elevar a Ciência, uma verdadeira superação em como a Revolução é entendida, aqui está a resposta sobre uma bandeija de prata. Se você realmente sonha com a Guerra Popular Global, aqui está a resposta numa bandeija de prata. Já é tempo de as pessoas pararem de fantasiar, colocar a cabeça no lugar. Nós já fizemos o trabalho duro, já sacrificamos muito. Para os nossos escapistas do Primeiro Mundo, vocês precisam reavaliar seus próprios egos. Nossa porta está aberta.

2. Você pode falar mais sobre táticas, estratégia, logística?

A partir de qualquer ponto, um aspecto diferente da prática da Guerra Popular Global vai tomar precedência. Um foco em táticas, aperfeiçoamento das técnicas do campo de batalha, será apropriado quando certo nível científico e organizacional for alcançado. Se você não tem Luz-Guia, Liderança Estratégica, se você não tem sofisticação logística pra sustentar um movimento real, então focar no aspecto tático, romantizar a arma, é um erro.

Tem um monte de foquistas e anarquistas posando de comunistas hoje. Um punhado de pessoas se reúne, geralmente estudantes, vão a algum lugar e faz algumas selfies com armas, um teatro de rua com boinas ou armas, ou alguma propaganda armada. Isso é bom, mas esse tipo de coisa não tem futuro. Não se pode fazer muita coisa com esse tipo de guerra popular Maoísta ortodoxa e nem pra Guerra Popular Luz-Guia Global isso é útil. O próprio Mao Zedong criticava esse tipo de visão aventureirista em “Corrigindo Ideias Erradas dentro do Partido”. Mao criticou a mentalidade pequeno-burguesa que leva ao aventureirismo. Isso também é muito perigoso para os movimentos reais e de massas. Luta armada real não é um jogo.

As pessoas precisam ser menos preocupadas com o próprio ego, com suas carências sentimentais. Parar de se preocupar em estabelecer credibilidade com exposição prematura de armas. Se você fica impressionado com alguns estudantes mascarados segurando armas, então você é muito fácil de impressionar. O povo não vai sair em conflitos suicidas com o Estado porque precisam provar pra si mesmos que conseguem fazer isso. Sacar nossas armas muito cedo é um sinal de fraqueza, não força. É um sinal de instabilidade pequeno-burguesa, falta de disciplina proletária, falta de linha de massas, falta de jogo longo, falta de ciência revolucionária. Isso diz alguma coisa muito triste sobre o estado dos movimentos populares. Isso mostra como os movimentos no Primeiro Mundo são tão fáceis de impressionar. A razão de esse tipo de teatro armado se repetir tantas vezes no Primeiro Mundo é a falta de um proletariado real pra acalmar esse emocionalismo pequeno-burguês e burguês. Mas isso também aparece no Terceiro Mundo, o que é desastroso. É uma mentalidade pequeno-burguesa, partilhada por muitos dogmáticos leninistas e maoístas, de que basta memorizar uns slogans, decorar umas fórmulas, e ir às armas. Tudo amadorismo. Pequenas organizações criminosas, cartéis, por exemplo, podem organizar exércitos mais fortes que esses auto-proclamados ‘revolucionários’. Eles têm uma linha de massas melhor também. Eles muitas vezes tiram as pessoas da miséria com mais eficiência. As seitas comunistas, por outro lado, estão ocupadas demais tentando estabelecer a própria credibilidade contra outros grupos de estudantes pra saber dos pobres furiosos que aderem a organizações criminosas, e essas gangues costumam projetar um caráter populista, de esquerda. Eles são a verdadeira ameaça, não coleções de seitas de esquerda minúsculas e debatedoras. Da mesma forma, os islamistas são a competição real a nível de rua, não pequenas seitas de esquerda ocupadas tentando impressionar umas às outras com slogans e armas.

Romantização é parte da baixa-ciência. Ela é necessária pra um movimento revolucionário verdadeiro, mas é um grande erro romantizar a arma antes do tempo, e é sempre um erro romatizar dogma morto. Romantizar a arma antes do tempo certo ou o dogma pensando que isso levará à vitória é um grande erro foquista, aventureiro. Muitas vezes a bancada dogmática irá desprezar a Ciência como ‘mero intelectualismo.’ Eles não entendem a necessidade de genuína liderança científica. Eles não entendem que o próprio Mao foi um grande crítico do baixo nível político da pequena burguesia, dos militares aventureiros (no Brasil, tivemos o exemplo do Tenentismo semelhante ao que se chama aqui de ‘aventureirismo militar’).

Nós precisamos cultivar liderança científica, Luz-Guia. Precisamos de líderes que estão menos preocupados com a própria reputação a curto prazo. Líderes que entendem que o jogo longo requer ciência real, não dogma. A Guerra Popular não é uma aventura, é um progresso social que envolve milhões. Guerra Popular Global envolve bilhões. O baixo-nível de desenvolvimento da revolução tem muito trabalho a fazer com a falta de ciência e também com o dogma e o emocionalismo.

Por enquanto, a Revolução Global está num ponto onde a logística importa mais que qualquer outro fator. O desafio científico foi superado. A sofisticação tática virá em tempo, mas o movimento não vai crescer sem desenvolver sofisticadas redes logísticas. Uma Guerra Popular moderna não vai se sustentar só com a colheita de frutas nas árvores. Estamos falando sobre Guerra Popular de verdade, não guerrilha pornô de alguma variedade foquista ou anarquista. A coisa mais heróica que um camarada pode fazer é gerar recursos, mesmo que seja por simples doações. As pessoas que doam realmente são algumas das nossas maiores heroínas, de verdade. Tudo flui delas. Aqueles que falam sobre luta, mas não doam, são uns faladores. Os que resolvem nossos problemas logísticos são os líderes do futuro, simples assim. São eles que seguem o caminho. É deles que todos nós podemos aprender.

3. Quais são alguns exemplos de movimento anti-imperialista e
revolucionário?

A nível global, temos alguns problemas:

Primeiro, as pessoas precisam ir além do dogma. Elas precisam colocar o Todo-poderoso Comunismo Luz-Guia no comando. Deixar de lado mentalidades burguesas que romantizam o dogma e a ortodoxia. Nós temos a ciência revolucionária mais avançada. É preciso ser científico invariavelmente e sem medo. A verdade está do nosso lado. Ela é a arma mais poderosa.

Segundo, as pessoas precisam parar de romantizar a arma de forma prematura. Nós precisamos fechar a porta da mentalidade foquista, aventureirista. Tirar selfies com armas não faz nenhuma revolução. Propaganda armada não impressiona as massas. É preciso canalizar a energia em suporte logístico pra organização, o Grande Plano Estratégico da Luz-Guia. Isso quer dizer que todo mundo precisa gerar recursos pra Organização e pra Guerra Popular Global. Esses (doadores) são os heróis do nosso movimento. Tudo, daqui até a nossa vitória será parte de uma corrente de causalidade que é possivel graças àqueles que geram recursos, aqueles que resolvem nossos problemas logísticos. Os que ajudam financeiramente são os verdadeiros heróis.

Terceiro, nossos camaradas precisam ter vontade de se organizar em fronts com a mesma paixão com que levam adiante o trabalho do Comunismo Luz-Guia puro. Nós precisamos nos atirar de verdade no recrutamento em fronts, não simplesmente recrutar por aí a “extremaesquerda” pré-existente. Fronts são um dos principais fronts da logística.

Quarto, é preciso aumentar a disciplina. Todos os camaradas precisam trabalhar com consistência em projetos e gerar recursos. Todos os camaradas precisam ficar educando uns aos outros constantemente. Todos nós precisamos empurrar a Revolução pra frente. O ego deve ser eliminado. Precisamos forjar uma poderosa unidade. Precisamos fazer bem feita a nossa parte. Ser o melhor que pudermos ser. Precisamos cumprir nosso dever sem conformismo. Tudo pelo povo, Guerra Popular Global, pela Organização, pela liderança, pelo Comunismo Luz-Guia.

Quinto, a segurança precisa ser melhorada. Fomos atacados em alguns fronts. Precisamos enrigecer nossa segurança. Precisamos aumentar nossa vigilância. Com exceção de poucos representantes bem escolhidos, nós somos uma organização clandestina a nível global.

Sexto, tomar iniciativa é importante. Se você não está usando das suas melhores habilidades então é sua responsabilidade contar isso pra sua liderança e assim servir melhor ao povo. Não fique calado. Fale para o Mundo.

Sétimo, não se preocupe com as críticas das múmias dogmáticas. Elas não importam. Não tente impressionar as legiões de leões covardes que urram pela revolução, mas não doam um centavo. Não se preocupe com as críticas dos círculos de primeiromundistas, estudantes, hipsters et cetera, pessoas que não tem base nas massas. As políticas deles são desconectadas da realidade. Eles são uns palhaços que querem sabotar as lutas anti-imperialistas do Terceiro Mundo pra ganhar respeito em grupinhos de internet. Esses são os palhaços que dizem que o ativismo idiota de hipsters e estudantes vai deflagar a Guerra Popular no Primeiro Mundo. São uma trupe que pensa que lutar pelo economismo do Primeiro Mundo e políticas identitárias dentro dele é importante pra libertar o Terceiro Mundo das garras do imperialismo. Não seja armadilhado pelas fantasias deles. Deixe os cães latirem. Siga seu voo sobre eles.

4. Você dá muita importância pras finanças, por quê?

Olhe o progresso recente que nós fizemos. Estamos inundados com lucros do proletariado. Estamos treinando pessoas no estrangeiro, construindo escolas, bases. Estamos a beira de emergir ao nível global. Nós fizemos o trabalho de base. Só é preciso realmente suporte logístico, financeiro. Se nós conseguirmos nos assegurar disso, nós poderemos avançar a qualidade do nosso trabalho em saltos. Estamos muito perto de ver alguma coisa muita inspiradora e bonita emergir. Parece ser algo que nunca vimos antes, mas nós precisamos de pessoas pra ouvir o que estamos dizendo e agir de acordo. Eu não sei dizer isso de outra forma. A hora é essa. Precisamos de você. Podemos todos fazer uma coisa grandiosa juntos.

5. Você falou em “jogo longo.” O que você quis dizer?

A Luz-Guia está jogando um jogo longo. Estamos fazendo movimentos que só fazem sentido olhando os cinco anos passados, dez anos, décadas, até agora. Nós estamos inteiramente em um outro nível. Estamos jogando pela grande vitória. Isso é parte do que é ser Consciência de Vanguarda. É ver além do que os outros veem. É subir para um nível totalmente diferente. É como se isso fosse comandado pelo destino. Não precisamos nos preocupar com as pequenas curvas da estrada. Não precisamos nos preocupar com os altos e baixos das múmias dogmáticas. Tudo está convergindo de uma maneira que será muito boa pra nós. O que importa é ficarmos firmes. Todos nós temos confiança estratégica. Nós nos reagrupamos com a liderança e o Grande Plano Estratégico da Luz-Guia (da Verdade). Fique de olho no prêmio.

6. O que você diz daqueles que acusam a Luz-Guia de cultismo e gangsterismo?

Olhe pra cultura do sistema: Liberalismo, fascismo, feudalismo. O que nós oferecemos é uma genuína alternativa. O que nós oferecemos é uma maneira de pensar, uma forma de vida que seja genuinamente libertadora. Nós dizemos que a Verdade importa. Nós dizemos que a Ciência importa. Nós dizemos que é importante viver, e morrer, para servir ao Povo. Compartilhar, cuidar, educar é importante. Família e comunidade importam. Nós defendemos uma liberdade verdadeira, criatividade, justiça, prosperidade, igualdade, felicidade, prazer. Somos guerreiros. Eu dou minha vida pelas dos meus irmãos e irmãs. Seu sofrimento é meu sofrimento. Ninguém é livre até que todos sejam livres. Nós realmente queremos um Mundo de paz pras nossas crianças. Nós saudamos o planeta Terra, nossa casa comum, como parte da nossa família. Nós também acreditamos em liderança, organização, lealdade, sacrifício. Isso pode parecer coisa de outro mundo ou “mero intelectualismo”, mas é o que somos. Não nos vemos como o problema, o problema é o império. O problema é liberalismo, fascismo, medievalismo. Nós vivemos num mundo onde milhões de pessoas, nossos irmãos e irmãs, nossas crianças, morrem todo dia por guerras, fome, doenças evitáveis, água suja, falta de cuidados médicos, podresa massacrante. No momento em que vivemos, as pessoas são tratadas como lixo. Nós vivemos num mundo onde muitas mulheres são tratadas como escravas. Nós admitimos com muito orgulho que não pensamos da mesma forma que o sistema. Nós somos as pessoas mais pé-no-chão, honestas, críticas, com mentalidade científica, autossacrificadoras e corajosas que já conheci. Não somos o problema, o sistema é.

Essas mesmas elites e seus agentes (conscientes ou não disso) nos chamam de “gangsters” e “mafia”. Esse é o sistema que criou mais desigualdade econômica do que qualquer outro no Mundo. Os ricos ficam mais ricos. Os pobres são desprezados. Eles são donos de tudo. Nós não temos nada. Eles compram e vendem as pessoas como animais. Eles matam os pobres em suas guerras sem fim. Nós somos os pobres, os trabalhadores explorados, pequenos fazendeiros, moradores de favelas. Nós queremos todos vivendo uma vida boa. Estamos lutando pela vasta maioria da humanidade. Nós enpunhamos a arma pra baixar a arma. Eles só lutam por eles mesmos, pelo Primeiro Mundo e pelos aliados deles. Eles lutam pelas elites. Eles matam por lucro. Quem são os verdadeiros “gangsters”? Quem é a verdadeira “máfia”? As elites, o Império, os agentes deles sempre vão caluniar os movimentos populares. Temos que lembrar o que Mao disse: “Ser atacado é uma coisa boa.” Eles não nos atacariam se não estivéssemos progredindo. Nunca nos atacariam se não fôssemos uma ameaça pra ordem mundial.

Pro império nós dizemos: Nos chame do que quiser. Faça seu melhor. Não temos medo. Você está combatendo um espírito, um povo, uma organização, uma liderança que você nunca viu antes. Esse é um novo tipo de revolução. A Guerra Popular Global está chegando. Essa é nossa vez, esse é nosso futuro, nosso destino.

7. Alguma palavra pra quem quer ajudar?

Despreze todas as mentiras. Despreze toda a fofoca. Ignore as calúnias do Estado e de seus agentes. Você tem a chance de ser parte de uma coisa muito nova. Não importa de onde você é, que língua você fala, qual sua aparência, a cor de sua pele, sua religião. O que importa é seu coração. A cor do seu espírito, Vermelho.

É por isso que nós gritamos: Quem tiver olhos, veja. Quem tiver ouvidos, escute. Quem tiver um cabeça, pense. Precisamos de sua ajuda, agora. Nossa mão está aberta, segure nela. É seu futuro também.

Deixe um comentário